Blog da Loja Integrada

Como aumentar a venda dos seus clientes via marketplaces

Não há mais dúvida sobre os benefícios de vender online. Mas ao iniciar seu negócio de comércio eletrônico, todo pequeno empresário enfrentará um dilema que afeta o resto de sua jornada: devo vender no meu próprio e-commerce ou em Marketplaces com outros comerciantes?

A resposta curta para essa resposta é ambos. Cada plataforma de vendas possui suas próprias vantagens que ajudarão no sucesso da loja. Para te mostrar, abaixo explicamos o que são os Marketplaces e quais são seus benefícios para os pequenos comerciantes online. Acompanhe!

O que são e como funcionam os Marketplaces?

O Marketplace é um site em que é possível encontrar diferentes marcas de produtos provenientes de vários fornecedores, lojas ou pessoas expostas na mesma plataforma. O proprietário do Marketplace é responsável por atrair clientes e as transações processadas, enquanto os lojistas lidam com a fabricação e o envio.

Empresas como Amazon, Submarino e Mercado Livre tiveram enorme sucesso no modelo de Marketplace. Até agora, esse modelo provou ser muito lucrativo para o comércio eletrônico na web. Em termos de receita, essas empresas recebem uma porcentagem das vendas de qualquer produto vendido em suas plataformas.

Quais os benefícios de usar um Marketplace?

Em um primeiro momento, parece ser obrigatório escolher entre um e-commerce próprio e um Marketplace. Você pode criar sua própria loja ou montar uma “barraca virtual” em um Marketplace já estabelecido.

No entanto, essa não precisa ser uma escolha única. É possível usar um hub de integração para conectar um e-commerce ao Marketplace e gerenciar tudo de uma mesma ferramenta. Ambas as abordagens têm suas vantagens e desvantagens, e é uma decisão que deve ser avaliada com cuidado. Para ajudar, vamos analisá-las abaixo:

1. Um e-commerce é exclusivo para sua marca, mas um Marketplace fará o esforço de marketing em seu nome

Um Marketplace, assim como um shopping físico, agrupa vários comerciantes para exibir seus produtos em um site. Portanto, a concorrência é firme entre todos. Os visitantes do Marketplace não dão atenção ao comerciante que vende lá, mas sim ao produto ou negócio que eles podem encontrar. Em um site próprio de comércio eletrônico, os produtos de uma mesma loja serão os únicos disponíveis para os consumidores.

Por outro lado, a venda online em Marketplaces não exige nenhum esforço de marketing do lado do comerciante, pois a plataforma estará se promovendo para atrair mais visitantes. Sendo o responsável pelo controle do site de comércio eletrônico, a loja terá que cuidar das despesas de marketing.

2. Um e-commerce oferece visibilidade do seu desempenho, mas um Marketplace tem um alcance melhor

Quando os visitantes começam a acessar o e-commerce, você pode estudar e analisar o desempenho do site de acordo com o comportamento deles. Por exemplo, o Google Analytics, destacará os produtos mais verificados, quantos viram uma página específica, a taxa de conversão do site etc. Um Marketplace não fornece informações sobre o desempenho de seus produtos. Portanto, seria quase impossível melhorar e vender com mais eficiência.

Enquanto um e-commerce não possui comissões sobre vendas, os Marketplaces têm um alcance maior. É possível concentrar os esforços na venda para uma região específica, enquanto usa o Marketplace para alcance global, dependendo de qual escolher.

Finalmente, cada plataforma tem suas próprias vantagens e desvantagens. A combinação dos dois pode ajudar a otimizar as vendas, de maneiras diferentes. Como primeiro passo, é recomendável começar usando um e-commerce próprio e se preparar lentamente para migrar as vendas para os Marketplaces.

Você, como parceiro, lembre-se que o sucesso do seu cliente também é o seu sucesso! Avalie junto com ele quais caminhos seguir com o e-commerce dele.

Que tal oferecer seus serviços de consultoria de e-commerce e outros na Loja de Serviços da Loja Integrada? Aproveite essa oportunidade e comece já!

Leia mais

Artigo anterior

Estratégia de branding: como posicionar uma marca

Leia mais

Próximo artigo

A importância de um ecossistema para uma agência de e-commerce

Deixe seu comentário