Blog da Loja Integrada

Como criar uma loja virtual de eletrônicos incrível [e-commerce prático]

Recentemente, lançamos aqui no blog uma série de posts chamada e-Commerce Prático. A ideia é trazer, de forma didática e simples, dicas focadas em um nicho de mercado. Dessa forma, quem está pensando em abrir uma loja virtual neste ramo pode colocar o seu negócio em funcionamento o quanto antes. Neste mês, o tema é loja virtual de eletrônicos. Confira abaixo tudo o que você precisa saber para colocar a mão na massa.

Boa leitura!

E-commerce na prática: criando uma loja virtual de eletrônicos

Uma loja virtual de eletrônicos é aquela que se dedica a vender smartphones, computadores, notebooks, câmeras fotográficas, filmadoras, videogames, fones de ouvido, televisores e muito mais.

Fique de olho: estatísticas para loja virtual de eletrônicos

De acordo com a 38ª edição da pesquisa Webshoppers da Ebit, correspondente ao primeiro semestre de 2018, o ramo de eletrônicos possui uma fatia de 3,8% em volume de pedidos e de 11,2% em volume financeiro. Isso demonstra que este ramo possui um ticket médio maior, embora o número de pedidos seja menor.

É importante analisar, porém, que a pesquisa separa telefonia e celulares em outra categoria. Se somarmos eletrônicos com telefonia e celulares, teremos 11,5% do share de categorias em volume de pedidos e 30,1% em volume financeiro. É um volume considerável.

Além disso, nas categorias em crescimento destacadas pelo Webshoppers, estão os eletrônicos, que tiveram um aumento de 17% em pedidos e 30% em faturamento, comparando o primeiro semestre de 2018 com o de 2017.

Detalhes específicos de uma loja virtual de eletrônicos
Agora, vamos analisar os detalhes que são particulares das lojas dessa categoria.

1. Estar atento às novidades

O mundo dos eletrônicos vive de novidades. O mercado está constantemente lançando novos produtos, e é importante que a loja os ofereça para o seu consumidor.

Não deixe de demonstrar que o seu negócio está atualizado com o que há de mais moderno — mesmo que a loja não ofereça os produtos mais atualizados, podem ser produzidos conteúdos em blogs ou redes sociais com fins informativos para os visitantes e loucos por tecnologia, por exemplo.

2. Suprir o que o mundo físico oferece

O mercado dos eletrônicos, assim como vários outros setores, precisa trabalhar para compensar pelo que as lojas físicas oferecem. Como os consumidores não podem usar os seus sentidos para experimentar, tocar e sentir os produtos, os lojistas precisam contornar essa situação. Algumas sugestões são:

• Caprichar na descrição do produto
• Fazer tutoriais de uso em formato de vídeo
• Publicar fotos com pessoas utilizando o produto para mostrar as suas dimensões, formato etc
• Apresentar as medidas dos produtos
• Fazer vídeos de clientes reais ou influenciadores digitais desembalando — fazendo um unboxing —, usando o produto e demonstrando o uso das suas funcionalidades e/ou sua facilidade de instalação
• Apresentar tabelas comparativas de produtos semelhantes
• Montar um FAQ poderoso, sanando todas as dúvidas que o consumidor pode ter
• Ter uma equipe de atendimento bem treinada para sanar dúvidas, inclusive questões técnicas
• Elaborar conteúdos sobre os produtos, funcionalidades, comparações e novidades do mercado

3. Atuar em nichos
Certamente, oferecer todos os produtos de eletrônicos é uma opção, mas a competição com os gigantes do comércio eletrônico será grande. Uma opção é atuar em nichos. Por exemplo:

• Câmeras fotográficas ou de vídeo para profissionais
• Câmeras fotográficas ou de vídeo para viajantes
• Fones de ouvido para DJs
• Notebooks para gamers
• E assim por diante

4. Oferecer garantia
Como no mercado de eletrônicos há muitos produtos piratas e de procedência duvidosa, é interessante que as lojas demonstrem confiabilidade, oferecendo garantia pelos seus produtos. Além disso, como já mencionamos no texto acima, os eletrônicos têm, no geral, um valor mais alto, ou seja, o investimento do cliente é maior e ele precisa se sentir seguro para finalizar uma compra. Por isso, é importante que você conheça bem o fornecedor com quem irá trabalhar.

A garantia é uma ótima estratégia, inclusive para produtos usados — assegurando ao cliente que ele pode trocar seu produto ou ter seu dinheiro de volta caso tenha algum defeito.

É importante lembrar de enviar a Nota Fiscal do produto ao cliente para que ele possa usá-la, caso precise acionar a garantia. Isso porque, hoje os Correios exige que você coloque a nota fiscal do lado de fora do pacote que você irá postar.

5. Cuidado com o envio dos produtos

Os produtos eletrônicos são, no geral, frágeis e podem ter partes sensíveis à temperatura, umidade etc. São muitas peças envolvidas que, em um transporte descuidado, podem quebrar ou danificar o equipamento. Por isso, a importância de garantir excelência na qualidade da entrega. Para isso, as dicas são:

• Contrate uma transportadora de confiança, de reputação comprovada e com experiência em transporte desse tipo de produto.
• Opte por embalagens que protejam bem o produto. Almofadas de ar, placas de isopor e plástico bolha são algumas sugestões. Aprofunde-se neste tema com o texto sobre a importância da embalagem no e-commerce.
• Forneça informações claras sobre frete, formas de envio, embalagens e prazos de entrega na página de detalhe do produto.
• Ao enviar o produto, envie ao cliente o código para que ele possa rastreá-lo, caso deseje.
Depoimentos de clientes satisfeitos o ajudarão a demonstrar que a loja é confiável, oferece bons produtos, bons prazos e uma entrega sem dores de cabeça.

6. Oferecer diferentes serviços

Outra forma de se destacar na competição com os gigantes do mercado de eletrônicos é oferecendo diferentes serviços e agregando valor. Alguns exemplos são:

• Venda de aparelhos usados;
• Aparelhos usados como parte do pagamento;
• Assistência virtual para a instalação e/ou manutenção;
• Execução de reparos técnicos;
• Montagem fácil e prática;
• Execução da montagem e/ou instalação dos aparelhos;
• Assistência pós-venda;
• Política de troca e devolução para produtos que não ficaram do jeito que o consumidor imaginava e/ou possuem algum defeito;
• Projeto de decoração de interiores, por exemplo, para verificar a melhor posição da televisão no ambiente, qual é a dimensão mais adequada para o cômodo, a altura ideal em relação aos olhos do espectador etc.
• Criar um diferencial, uma proposição de valor matadora. Aprofunde-se sobre o tema com o texto Como definir uma proposição de valor para e-commerce.
• Independentemente dos diferenciais que você definir para a sua loja, é importante explicitá-los nas páginas principais da loja e nas redes sociais. Dessa forma, o cliente saberá por que deve comprar com você, e não com um concorrente.

7. Atuar em marketplaces
Uma situação recorrente no ramo de eletrônicos é a venda de produtos idênticos — afinal o fabricante é o mesmo — e a competição fica, muitas vezes, no preço.

Sendo assim, pode fazer sentido para a loja virtual de eletrônicos vender em marketplaces. Assim, o negócio tem a oportunidade de atingir um público mais propenso a comprar, além de competir de igual para igual com gigantes do mercado. Avalie se esta estratégia cabe para o seu negócio no texto Vender em marketplace: vale a pena para minha loja virtual?

Exemplos de lojas de eletrônicos da Loja Integrada

Com essas dicas, você já deve estar com a cabeça borbulhando de ideias. Que tal, agora, dar uma olhada nas lojas virtuais de eletrônicos da Loja Integrada para se inspirar? Confira!

Gorila Shield: loja que vende eletrônicos e acessórios para celulares e sabe trabalhar muito bem a questão de conteúdo com tutoriais no Youtube
Go Imports: loja de eletrônicos de nicho, só vende produto da Apple.

Gostou do texto de hoje? Qual outro ramo de mercado você quer ver no próximo texto da série e-Commerce Prático? Não deixe de conferir o texto do mês passado sobre como criar uma loja virtual de moda incrível.

Leia mais

Artigo anterior

Benchmarking prático para e-commerce

Leia mais

Próximo artigo

Conheça o poder do conteúdo segmentado e personalizado

Deixe seu comentário