Blog da Loja Integrada

Gestão de estoque no e-commerce: como fazer?

Imagine o seguinte cenário: você faz uma compra numa loja virtual e o produto demora para chegar (ou nunca chega). O motivo? Este produto não existe em estoque e, por alguma falha na logística interna – falta de controle nos processos de alocação ou organização de mercadoria, por exemplo -, ele foi vendido para você. Todo este transtorno – tanto para o lojista e para o consumidor – seria facilmente evitado com a gestão de estoque no e-commerce.

 O que é gestão de estoque no e-commerce?

Nada mais é do que o controle dos produtos que são adquiridos dos fornecedores e enviados para os clientes a fim de saber quais são e em que quantidade existem antes de destiná-los para venda.

 

Quais são as vantagens de ter uma gestão de estoque no e-commerce?

São vários os benefícios de uma boa gestão de estoque no e-commerce. Vamos listar algumas delas:

– Garantir que os produtos disponíveis para venda estão em estoque;
– Identificar produtos que têm alta ou baixa saída;
– Controlar em que momento novos pedidos podem ser feitos aos fornecedores;
– Otimização do capital de giro;
– Controlar a localização dos produtos.

 

Quais são os tipos de estoque?

Existem vários tipos de estoque possíveis de serem usados por e-commerces.

 

1. Estoque compartilhado

Usado por e-commerces que possuem loja física, o estoque compartilhado utiliza o mesmo espaço e os mesmo produtos para a operação física e online.

Vantagem: É possível integrar o gerenciamento dos produtos.
Desvantagem: É preciso ter um back office muito bem estruturado com atualização em tempo real para não vender produtos indisponíveis.

2. Estoque único

Os lojistas que possuem operação exclusivamente online preferem este formato de gestão de estoque.

Vantagem: Não depende de fornecedores e possui produtos para pronta entrega.
Desvantagem: Risco de ter produtos encalhados em estoque.

3. Estoque terceirizado

Ideal para produtos artesanais e para lojistas que possuem pouco capital de investimento, essa modalidade se divide em duas:

3.1 Drop shipping ou triangulação – no qual o estoque e as entregas ficam sob a responsabilidade do fornecedor.
3.2 Cross docking – no qual o fornecedor entrega o produto ao lojista e este entrega o produto ao cliente.

Vantagem: Não é preciso ter uma operação de gestão de estoque no e-commerce, pois isso ficará a cargo do fornecedor. O lojista precisa apenas contatá-lo para retirar os produtos.
Desvantagem: Analisar constantemente o tempo de envio e qualidade do produto que será entregue ao consumidor. O fornecedor deve ser escolhido com muito cuidado.

4. Estoque descentralizado

Ideal para produtos sazonais, esta modalidade deixa o estoque de cada tipo de produto em diferentes locais para reduzir despesas e tempo de envio.

Vantagem: Rapidez e agilidade de entrega.
Desvantagem: Maior custo com espaços de estoque e necessidade de integração dos pontos de armazenagem.

5. Estoque Consignado

Nesta modalidade de estoque o lojista compra uma quantidade de produtos e pode devolver o que não for vendido e pagar apenas pelo que foi.

Vantagem: Custo reduzido de estoque.
Desvantagem: Nem todos os fornecedores aceitam este tipo de negociação e aqueles que aceitam costumam cobrar um pouco mais pelos produtos.

 

5 dicas para a gestão de estoque no e-commerce

Para aplicar uma boa gestão de estoque no seu e-commerce, siga as dicas abaixo:

1. Escolha o tipo de estoque mais adequado

Com base no que mencionamos acima, nas pesquisas que você fará, no tipo de mercadoria que vende, no seu público e no seu sistema de funcionamento, escolha o tipo de gestão de estoque que combina melhor com o seu negócio.

2. Atualize o seu estoque

Constantemente! Controle o que entra de mercadoria e o que que sai para não vender produtos indisponíveis.

3. A tecnologia é sua aliada

Mais uma vez, ela entra em cena para te ajudar. Com certeza, no início das operações – com baixo volume de vendas – é possível controlar estoque com uma planilha de Excel. No entanto, com o crescimento das vendas e da complexidade das operações, é interessante aproveitar o sistema de gerenciamento de estoque da Loja Integrada e, paralelamente, pesquisar por ERPs (Enterprise Resource Planning ou Planejamento dos Recursos da Empresa) integrados à plataforma.

4. Seja amigo dos seus fornecedores

Mais que isso, eles precisam ser seus parceiros de negócios. Como vimos, em maior ou menor escala, muitas modalidades de gestão de estoque dependem deles. Negocie prazos, valores, frequência de compra, formas de pagamento e dê preferência para os fornecedores mais confiáveis e mais dispostos a colaborar em caso de imprevistos ou dificuldades.

gestão de estoque no e-commerce

5. Analise o seu histórico de vendas

Dessa forma você saberá quando e em que quantidade comprar determinados produtos, quais têm pouca saída, quais precisam entrar em promoção para impulsionar as vendas e assim por diante.

Como mencionado, um sistema ERP pode ser um grande aliado na gestão do estoque no e-commerce. Saiba mais sobre este recurso no nosso post Sistema ERP para e-commerces: organização, lucratividade e segurança.

Leia mais

Artigo anterior

Customer experience: chave do sucesso para e-commerces

Leia mais

Próximo artigo

Fique ligado: estatísticas e números do comércio eletrônico

Deixe seu comentário