🔥 Comece a vender online. Planos anuais com 20% OFF!
Aproveitar!
ideias-trabalho-autonomo

13 ideias de trabalho autônomo que vão te ajudar a sair do vermelho

Está desempregado e não sabe o que fazer para sair do vermelho? Temos 15 ideias de trabalho autônomo para ajudar você a sair desta situação. Confira!

De fato, o mercado formal não é nada flexível. Quem busca a primeira oportunidade de emprego, por exemplo, encontra muitas dificuldades para ser contratado. 

Para piorar, mesmo pessoas com experiência e currículo relativamente rico, recebem mais “não” do que “sim” dos empregadores. Neste contexto, muitos procuram ideias de trabalho autônomo, nem que seja apenas para sair do vermelho.

De acordo com uma pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), há cerca de 10,1 milhões de desempregados no Brasil

Apesar de ser um número expressivo, até pouco atrás era ainda maior. Sobretudo, porque a transformação digital trouxe uma série de oportunidades aos trabalhadores. Com isso, a taxa de desemprego está diminuindo cada vez mais.

ALCANCE O PRÓXIMO NÍVEL COM A LI: CONTEÚDOS ESSENCIAIS E EXCLUSIVOS PARA SEU ECOMMERCE!

Receba dicas valiosas da Loja Integrada diretamente na sua caixa de entrada!

Atualmente, várias pessoas estão encontrando no trabalho autônomo um modo de contornar a inflexibilidade do mercado formal. 

Mais do que uma simples alternativa, o digital fez do trabalho autônomo uma possibilidade de se consolidar profissionalmente. Então, não é apenas uma chance de sair do vermelho, mas também de estabilizar sua vida financeira.

Por esse e outros motivos, vamos te mostrar 13 ideias de trabalho autônomo que vão te ajudar a sair da condição de desempregado e fazê-lo engrenar de vez sua carreira profissional. 

Podemos adiantar que, uma parcela das ideias possui uma barreira de entrada quase nula. Assim, você pode sair daqui com seu caminho definido.

Vem com a gente!

O que é trabalho autônomo?

Muitos já ouviram esse termo e até mesmo chegaram a usá-lo e, ainda assim, não sabem o conceito por detrás da atuação. 

Uma resposta simples para essa pergunta seria: o trabalho autônomo é toda e qualquer atividade feita sem um vínculo empregatício delimitando a relação entre duas partes.

Em outras palavras, é o profissional que presta serviços para empresas ou pessoas sem assumir o papel da atividade efetivamente. Uma vez que, não há um contrato ou coisa do tipo que o prenda no trabalho em questão. 

Sendo assim, o autônomo pode atuar tanto como pessoa física quanto jurídica e controlar com total liberdade sua rotina profissional e financeira.

Para exemplificar, alguém que trabalhe como autônomo não tem nenhuma obrigação de cumprir horários ou seguir dias de trabalhos pré-determinados pelo contratante. 

Ele também pode cobrar o quanto achar justo pela prestação do serviço. Diferente do que acontece no mercado formal, o profissional tem muito mais poder de escolha.

Isso acontece porque o profissional autônomo não está numa relação de trabalho em que tem um dever de obediência. Por mais que seja beneficiado com o serviço, o cliente não pode dar ordens para um autônomo. 

Ele só pode orientá-lo acerca do que há para ser feito. Resumindo, o trabalhador impõe suas condições para realização do projeto em questão e cabe ao cliente aceitar ou não sua oferta.

Microempreendedor, profissional liberal e autônomo: qual a diferença?

Um dos motivos pelos quais muitos não entendem o conceito de trabalho autônomo é a confusão com outros tipos de atuação, a exemplo do MEI (Microempreendedor) e profissional liberal. Eles são um pouco parecidos, mas na prática, possuem diferenças importantes. 

Para facilitar, destacamos algumas das principais particularidades de cada categoria de trabalho. Veja abaixo!

MEI

MEI é um modo de formalizar o trabalho de profissionais informais. Como Microempreendedor, você só pode ser pessoa jurídica, já que essa é uma categoria de empresa. 

Quando aprovado no cadastro do MEI, você recebe um CNPJ e todos os benefícios da modalidade, incluindo: carga tributária reduzida, possibilidade de emitir nota fiscal, aposentadoria por idade, salário maternidade, pensão por morte para família, dentre outros.

Para ser MEI, é necessário seguir à risca os requisitos impostos por essa categoria de empresa. Entre os principais, estão: não ter nenhum sócio, exercer uma das atividades permitidas, ter apenas um funcionário, faturar no máximo R$81 mil por ano. 

O cadastro, por sua vez, pode ser feito pelo Portal do Empreendedor. Sendo um processo muito mais simples do que em outras modalidades.

Profissional liberal

Profissional liberal é aquele que atua por si só em um negócio próprio ou trabalha para terceiros. Ele pode ter vínculos empregatícios com mais de uma empresa, assinando a carteira para aproveitar os benefícios da condição. Contudo, deve se responsabilizar sobre eventuais erros. Alguns exemplos de profissionais liberais são: advogados, médicos, arquitetos, dentistas e professores.

Esse tipo de profissional é representado por conselhos ou sindicatos, como OAB, CRM e CAU, os quais cobram taxas de manutenção quando estão registrados neles. 

Além disso, há tributos que devem ser pagos para exercer de forma legal suas atividades. Eles são praticamente os mesmos de profissionais autônomos, incluindo: IRPF/IRPJ, ISS, PIS e INSS.

Profissional autônomo

O autônomo é o profissional que atua sem vínculo empregatício, isto é, sem carteira assinada. Assim, trabalha de forma totalmente independente. 

Ele pode ser pessoa física ou jurídica e oferecer seus serviços para ambos. Além disso, não fica subordinado a uma cadeia hierárquica, recebendo ordens ou cumprindo horários, e não precisa apresentar certificações para exercer sua função. 

Desse modo, o profissional autônomo responde pelo próprio trabalho e por eventuais erros que acontecerem.

Por outro lado, é necessário pagar tributos atuando como autônomo. Isso porque, essa situação profissional precisa ser regulamentada junto à prefeitura. 

O que inclui cobranças, como: IRPF/IRPJ, ISS, PIS, INSS, Cofins e CSLL. Essas taxas são relativamente elevadas. Em compensação, há um grande volume de demandas e ganhos maiores do trabalho autônomo.

Panorama do trabalho autônomo no Brasil

O panorama do trabalho autônomo no Brasil está melhor do que nunca. Segundo um levantamento da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio), feito em 2022 e divulgado pelo IBGE, há 25,7 milhões de trabalhadores atuando nesta modalidade no país. Isso quer dizer que houve um crescimento de 4,7% no comparativo com 2021.

Além disso, a pesquisa diz que 70% das empresas brasileiras estão enquadradas como MEI hoje em dia. Trata-se de 13,5 milhões de negócios funcionando na categoria individual. 

O que indica que cada vez mais trabalhadores seguem o caminho informal ou empreendedor para continuar sua carreira profissional em vez do mercado tradicional.

O principal motivo para números tão expressivos é a transformação digital. Desde 2020, o isolamento social causado pela pandemia da Covid-19 mudou completamente o jeito de se fazer negócios. 

A necessidade fez com que consumidores, profissionais e empresas adaptassem suas atividades para a internet. Com isso, um oceano azul de oportunidades surgiu.

Por exemplo, pessoas que estavam desempregadas, não encontrando nenhum  emprego no mercado tradicional, puderam começar a trabalhar ou montar seu próprio negócio por meio das plataformas digitais. 

Inclusive, muitos o fizeram na modalidade home office, isto é, trabalhando de casa. Assim, o número de autônomos e microempreendedores cresceu exponencialmente.

Quais são os direitos dos trabalhadores autônomos?

Como profissionais autônomos trabalham por conta própria, devem correr atrás dos seus próprios direitos e cumprir obrigações para atuar legalmente na modalidade. 

Quando você presta serviços na condição de autônomo, como pessoa física, não há direitos trabalhistas automáticos envolvidos, a exemplo do CLT. Assim, é necessário contribuir com a Previdência Social para acessar determinados benefícios.

Os direitos dos trabalhadores autônomos são oferecidos essencialmente pelo INSS. Entre os principais, destacamos: aposentadoria por idade, aposentadoria por invalidez, aposentadoria especial, auxílio-doença, auxílio-maternidade, auxílio-reclusão e pensão por morte (para família). 

Vale dizer que, o trabalho autônomo não conta com benefícios, como 13° salário, férias remuneradas e FGTS, por exemplo. E, se você for autônomo sendo pessoa jurídica, os direitos vão depender da categoria da empresa em questão.

Prós e contras do trabalho autônomo

Da mesma forma do que outras modalidades de trabalho, ser autônomo tem vantagens e desvantagens. É claro que, para quem está querendo sair do vermelho, tudo o que importa é a remuneração, né? 

Ainda assim, há questões para além do dinheiro que você precisa entender como funciona antes de dar os próximos passos.. Por isso, listamos abaixo os principais prós e contras do trabalho autônomo. Dá uma olhadinha!

Prós

Flexibilidade de horários

Uma das principais vantagens de trabalhar como autônomo é a flexibilidade de horários. Você não precisa “bater o ponto” começando suas atividades sempre no mesmo momento, por exemplo, nem muito menos cumprir uma carga horária fixa. 

Assim, consegue conciliar melhor a vida profissional com outras áreas importantes da sua vida, como família, saúde e social.

Além disso, em algumas opções de trabalhos autônomos, você tem a liberdade de decidir em qual local o projeto será realizado de forma remota. 

Então, é possível ganhar dinheiro no conforto da sua casa na modalidade ou até mesmo viajando. O que aumenta ainda mais a flexibilidade de horários do trabalho autônomo.

Ganhos maiores

Usualmente, o trabalho autônomo oferece uma margem de salário muito maior para os trabalhadores do que o mercado tradicional. 

Isso porque, você ganha por produtividade e ainda pode escalar seus ganhos como autônomo. Enquanto em um trabalho formal, é comum que você receba menos do que merece pelo serviço realizado.

Não há necessidade de certificações

Outra das vantagens de ser autônomo é que os certificados são dispensáveis. Os trabalhos já feitos pelo profissional são o principal fator de qualificação para participar de novos projetos. 

O que mais conta para os contratantes é sua capacidade prática, por assim dizer. Assim, opções de trabalho autônomo costumam ter uma barreira de entrada quase nula.

Contras

Inclinação para indisciplina

Quem opta pelo trabalho autônomo tende a ser mais indisciplinado, pelo menos no início. Uma vez que, não tem regras que devem ser seguidas à risca ou chefe dando ordens frequentemente como acontece no trabalho formal. 

Com isso, o autônomo precisa manter o controle e ser o mais organizado possível para não só sair do vermelho por meio da modalidade, mas também crescer cada vez mais profissionalmente.

Instabilidade

Nos primeiros meses ou até anos, é comum que o trabalhador autônomo enfrente períodos de instabilidade tanto na carreira quanto financeiramente. Em alguns momentos, o volume de demandas pode ser menor. 

Por causa disso, os seus ganhos como autônomo podem ser abaixo do esperado. Diferente do CLT, o autônomo não está protegido com salário fixo ou seguro desemprego, por exemplo. Então, precisará lidar com esse cenário de instabilidade.

Não tem direitos a ótimos benefícios

Outro ponto negativo do trabalho autônomo é a perda de ótimos direitos trabalhistas comuns de quem possui carteira assinada. 

Você não recebe 13° salário no fim de ano, não tem férias remuneradas e não conta com FGTS, por exemplo, atuando na modalidade. Em compensação, paga menos tributos para acessar benefícios mais básicos, como aposentadoria e auxílio-doença.

13 ideias de trabalho autônomo que podem te ajudar a sair do vermelho

Dito isso, qual opção de trabalho autônomo você pode escolher para sair do vermelho? Qual caminho pode tirar você da condição de desempregado e te colocar de volta no jogo, estabilizando-o financeiramente? 

Logo abaixo, traremos 13 ideias de trabalho autônomo que podem ajudá-lo nisso. Algumas são possibilidades que surgiram por conta da transformação digital. 

Enquanto outras não envolvem necessariamente a internet. Contudo, todas podem ser ótimas opções para você!

1. Infoprodutor

A primeira ideia de trabalho autônomo da nossa lista é ser um infoprodutor. Ou seja, criar produtos não tangíveis, como ebooks, vídeo-aulas ou cursos online, e comercializá-los por meio das plataformas digitais. 

Todo mundo tem algo para ensinar, não é verdade? Ainda que pouco. Sendo assim, você pode monetizar os conhecimentos que possui na internet, elaborando infoprodutos transformadores para determinado público.

Você sabe tocar violão? Então, pode criar um curso online explicando como fazê-lo do zero ao avançado, por exemplo. 

Agora, se você sabe fazer toalha de mesa de crochê, é interessante criar vídeo-aulas ensinando passo a passo sua construção. 

Além disso, caso você tenha superado dificuldades que passou em um período da sua vida, compartilhar sua história detalhadamente em um ebook seria bem bacana. 

Seja como for, a profissão de infoprodutor é uma excelente forma de começar a trabalhar de forma autônoma.

2. Afiliado

Para vender infoprodutos nas plataformas digitais não é obrigatório ser um infoprodutor necessariamente. Isso porque, existe a possibilidade de se filiar a produtos e revendê-los. 

Estamos falando da profissão de afiliado, um trabalho autônomo bastante conhecido na internet. Basicamente, você é um representante comercial de um infoproduto trabalhando como afiliado. Então, recebe comissões por cada venda realizada.

Para isso, porém, você precisa apresentar o produto digital em questão para o público de maneira persuasiva, levando-os à compra estrategicamente. O que pode ser feito com técnicas de tráfego orgânico e pago. 

Você pode, por exemplo, criar conteúdos em um site mostrando como o “produto x” resolve determinada dor das pessoas ou pode ajudá-la a realizar um desejo. Assim como, criar anúncios no Google que introduzem os visitantes para a página de vendas do infoproduto.

O mercado de afiliados conta com uma ótima remuneração. Até porque, as comissões de vendas costumam ser altas. Para você ter uma ideia, há profissionais que faturam mais de cinco dígitos sendo afiliado, isto é, mais de R$10 mil. 

Além disso, essa é uma renda que pode se tornar passiva conforme você pega o jeito da coisa. Portanto, vale muito a pena escolher esta profissão como trabalho autônomo.

3. Copywriter

Gosta de escrever? Então, você pode se dar muito bem como copywriter. Essa é a profissão considerada como mais valiosa na internet. Tudo o que envolve vendas na internet envolve, de alguma forma, técnicas de copywriting. 

Trata-se da escrita persuasiva, a qual leva pessoas a tomarem uma decisão de modo imediato. Com isso, é um trabalho autônomo muito valorizado e rentável.

Quem trabalha como copywriter pode, por exemplo, pegar serviços de edição de texto, escrita de ebooks, artigos e emails, além de construção de páginas de captura e vendas, por exemplo. 

Os trabalhos podem ser essencialmente voltados à venda ou somente fazerem parte do marketing de conteúdo do contratante, sendo mais informativos.

É uma profissão que não requer certificados, conhecimento técnico ou mesmo experiência no início. Assim, a habilidade pode ser desenvolvida ao longo da jornada. Além disso, há diferentes formas de atuar como copywriter. 

Você pode, por exemplo, trabalhar como freelancer, ser um profissional fixo ou participar apenas da construção de lançamentos de produtos do cliente.

4. Designer

Outra das mais importantes profissões da internet é o Design. O lado visual conta muito nas plataformas digitais. Sem isso, mesmo com uma ótima mensagem, marcas podem fracassar. E o designer é o profissional responsável por trabalhar justamente toda a imagem de negócios. 

Ele pode, por exemplo, usar suas habilidades para elaborar páginas de sites, thumbnails para vídeos do Youtube ou artes para posts do Instagram.

É um trabalho autônomo ideal para quem tem um perfil de profissional mais criativo. Mais do que entender como funcionam softwares de edição, você precisa formar imagens, vídeos ou páginas atrativas o bastante. 

Porém, é possível começar na profissão pegando pequenos projetos em plataformas freelancer para apenas sair do vermelho. Quando pegar o jeito, você pode se candidatar a projetos maiores e aumentar seus ganhos.

5. Gestor de tráfego

Campanhas de tráfego pago são essenciais para alavancar os resultados de qualquer pessoa ou empresa. Elas geram mais visitantes, leads e clientes por meio de anúncios publicitários. Só que, é algo que envolve muita técnica e estratégia para funcionar. 

Para isso, existe o profissional conhecido como gestor de tráfego, um trabalho autônomo muito promissor e importante no marketing digital.

Basicamente, o gestor de tráfego é quem “aperta os botões” estrategicamente nas plataformas de anúncios, comprando cliques ou impressões para o endereço do cliente. 

Sendo assim, é necessário que entenda como funciona cada canal digital, seja analitico para agir com base em dados relevantes e tenha conhecimento de mercado.

Além de criar efetivamente campanhas, o gestor de tráfego pode planejá-las totalmente. Ele pode estudar quais palavras-chaves serão usadas, segmentar os anúncios e gerenciar a verba do projeto, por exemplo. 

Quando os anúncios já estão sendo veiculados, esse profissional ainda analisa, faz melhorias e otimiza o tráfego pago do cliente.

Para começar neste trabalho autônomo, é interessante ao menos ter um curso básico de tráfego pago ou buscar esse conhecimento gratuitamente nos mecanismos de busca. 

O ideal é que os primeiros clientes sejam aqueles com trabalhos mais pequenos. Porque assim, você pode usar a experiência do projeto para se desenvolver na profissão.

6. Social Media

As redes sociais fazem parte da estratégia comercial da maioria das empresas hoje em dia. Sobretudo, porque são plataformas que favorecem a criação de um relacionamento de confiança com o público. 

Com isso, várias marcas contratam o profissional que gerencia mídias sociais, isto é, o social media. Neste trabalho autônomo, você cuida do planejamento e criação de conteúdo, faz postagens, se relaciona com o público e monitora os resultados, por exemplo. Assim, melhora o posicionamento do cliente na rede social em questão.

Assim como acontece no copywriting, o social media não tem barreira nenhuma de entrada. Mesmo que você não saiba nada sobre o trabalho agora, você pode começar a pegar os primeiros clientes sem o menor problema e se desenvolver na profissão aos poucos. Sendo uma oportunidade e tanto para sair do vermelho e ingressar em uma nova carreira profissional.

7. Influenciador digital

Além do social media, as redes sociais colocaram em evidência outra profissão: influenciador digital. Trata-se de pessoas que criam conteúdos nas plataformas digitais compartilhando essencialmente sua visão de mundo, vida profissional e coisas comuns do dia a dia com seus seguidores. Elas se apresentam como verdadeiras amigas do público e ganham sua confiança e admiração.

Para começar a ganhar dinheiro neste trabalho autônomo, não é tão simples. Só que, vale muito a pena, porque os ganhos podem ser altíssimos com o passar do tempo. 

O melhor caminho é tentar fechar parcerias comerciais com marcas, mas você também pode promover produtos quando o público estiver pronto para ser monetizado.

8. Suporte ativo

Suporte ativo é o profissional que trabalha como atendente nas plataformas digitais. Atualmente, a experiência do cliente é um fator cada vez mais fundamental nas marcas. 

Uma vez que, o jeito como potenciais clientes são recepcionados fazem toda a diferença não só para venda, mas também em termos de construção de marca.

Nesse sentido, o suporte ativo é peça-chave na estratégia dos negócios. Ele pode, por exemplo, trabalhar no atendimento de ecommerces, tirando dúvidas e resolvendo problemas de potenciais clientes a todo momento. Assim como, participar de lançamentos, quebrando as últimas objeções que impedem alguém de comprar produtos ou serviços.

9. Desenvolvedor de Web

Com a transformação digital, várias marcas desejam criar um site nos mecanismos de busca para comercializar seus produtos e serviços. Assim como, gerar tráfego de forma orgânica e paga. 

Sendo assim, o desenvolvedor de web é um profissional bastante requisitado no novo mercado de trabalho. Ele fica responsável por toda estrutura do site do cliente. Ou seja, planeja, constrói e otimiza tudo o que há em uma plataforma web.

Como é um trabalho autônomo que envolve muito conhecimento técnico, você é muito bem remunerado sendo um desenvolvedor de web. Porém, precisa ser mais qualificado para começar. 

Não é necessário certificação nem nada do tipo, no entanto, você deve ter pelo menos o básico de programação para oferecer seus serviços.

10. Venda de comida por aplicativos

Aplicativos de pedir comida, como ifood e Uber Eats, caíram nas graças das pessoas. Até mesmo você talvez compre comida de vez em quando por meio destas opções, mas já parou para pensar em vender nos apps para sair do vermelho. Esse trabalho autônomo pode dar muito certo e, quem sabe, ser o início de um negócio de sucesso.

Para vender comida por aplicativos, você pode, por exemplo, produzir lanches deliciosos e oferecê-los em unidades e pacotes. É algo que os consumidores sempre compram. Então, muito provavelmente vai sair bastante. 

Além disso, você pode vender apenas doces, como bolos de pote ou pães de mel, focando mais na sobremesa das pessoas.

11. Venda de produtos artesanais

Se você tem habilidades manuais, como crochê, pintura, produção de cestos, por exemplo, um trabalho autônomo interessante para você é a venda de produtos artesanais. 

É um mercado valorizado e que pode te render bons ganhos para sair do vermelho sem quase nenhum custo inicial. O único investimento que precisa ser feito é referente aos gastos com matéria-prima. No mais, o talento e qualidade de trabalho vão falar por si só e te ajudar a vender os itens. 

Se você quiser aumentar os seus resultados na profissão, ainda pode investir depois em estratégias de marketing digital, divulgando seus produtos artesanais em marketplaces e redes sociais ou até mesmo montando sua loja virtual própria.

Com a Loja Integrada você abre uma loja digital rapidinho, em poucos cliques, e não paga nada por isso. Fica a dica.

12. Cuidador de pets

O mundo moderno está cada vez mais agitado. Ao passo que, a correria do dia a dia impede muitas pessoas de terem tempo para dar o devido cuidado para os seus pets. Assim, procuram pessoas para cuidar dos animais. 

O profissional contratado só precisa levá-los para passear ou ficar de olho neles. Ainda assim, acredite: recebem muito bem por esse serviço, isto é, ganham 2 ou 3 mil reais por mês.

Para começar neste trabalho autônomo, não é necessário cumprir nenhum tipo de pré-requisito, a não ser gostar de animais. 

Afinal de contas, os cuidados com os animais são bem básicos. Então, você só precisa de jeito para ficar com eles enquanto os donos estão ocupados com seus afazeres. 

Como os pets possuem uma percepção de valor alta para os donos, os cuidadores são bem remunerados por esse simples trabalho.

13. Conserto de celulares e computadores

Por último na nossa lista de ideias de trabalho autônomo, temos o conserto de celulares e computadores. Por mais que comprar um aparelho novo seja uma opção, muitas pessoas preferem a manutenção para não gastar tanto adquirindo um produto atual. 

Assim, essa é uma profissão que tem uma grande demanda de serviço. Especialmente, em relação aos computadores.

Além de mandar o computador para o assistente técnico consertá-lo, há várias pessoas que o fazem para trocar peças por outras melhores, fazendo um upgrade no desempenho do PC. 

Então, acontece do usuário passar diversos anos com o mesmo computador, apenas realizando manutenções periódicas para mantê-lo em bom estado.

Como ser produtivo trabalhando como autônomo?

Como dito, existem desvantagens em escolher uma das ideias de trabalho autônomo para seguir sua carreira profissional. Porém, é totalmente possível contorná-las. Para isso, o que mais importa é a sua produtividade. 

Quanto mais produtivo você for, menos chances você terá de perder para a indisciplina, enfrentar problemas de instabilidade ou sentir falta dos direitos trabalhistas do trabalho formal, por exemplo.

Seja organizado

Para ser produtivo no trabalho autônomo, você precisa primeiramente ser organizado. Não há outra alternativa. Você precisa definir um expediente e segui-lo à risca todos os dias, colocando metas claras de atividades que devem ser feitas e resultados. 

Caso contrário, em vez de ser alguém produtivo, você tende a ser indisciplinado, comprometendo sua atividade como autônomo tanto de forma profissional quanto financeira.

Priorize os trabalhos mais difíceis

Outra dica de produtividade é priorizar os trabalhos mais difíceis. Ou seja, aqueles que são novidade para você, exigem mais conhecimento técnico ou devem ser feitos mais rapidamente do que o normal. 

Quando você faz isso, você deixa de correr o risco de não cumprir o prazo que foi combinado com o cliente, por exemplo. Além disso, mantém o nível de qualidade do trabalho, apesar da dificuldade a mais que teve para fazê-lo.

Evite distrações

O principal vilão da produtividade do trabalho autônomo é a distração. Ainda mais hoje em dia que é tão fácil perder o foco acessando suas redes sociais. 

Então, quando for realizar suas atividades, deixe o celular o mais longe possível de você e desative notificações menos importantes, por exemplo. 

Para ser produtivo, você precisa entrar em estado de flow, no qual nada mais importa, a não ser terminar sua atividade. Assim, evitar distrações é essencial.

Faça pausas

Na teoria, quanto mais tempo você trabalha, mais produtivo você é. Mas na prática, não é assim que acontece. Ficar em frente da tela do computador de forma ininterrupta por várias horas, por exemplo, pode deixá-lo improdutivo. 

Isso porque, não temos a capacidade de nos manter completamente concentrados por períodos tão longos.

Nesse sentido, faça pausas durante sua rotina de trabalho autônomo. Trabalhe por 50 minutos e descanse por 10, por exemplo. 

Essa prática pode parecer inefetiva a princípio, mas fará toda a diferença na sua performance depois de alguns dias. 

E isso pode ser ainda mais vantajoso para quem exerce atividades que exigem muito da criatividade, como copywriting e design.

Durma o necessário

Sabe aquela ideia de dormir pouco para ser mais produtivo? Então, é melhor descartá-la. Dormindo mal, você vai passar o dia inteiro cansado. 

E, consequentemente, não terá uma boa performance nas suas atividades do trabalho autônomo. Em função disso, o ideal é que você descanse de 6 a 8 horas todos os dias, acordando com 100% de energia e disposição para trabalhar.

Avalie periodicamente sua produtividade

De tempos em tempos, é importante que você avalie sua produtividade. Você está conseguindo atingir suas metas? O que não está dando certo? O que pode ser melhorado? 

Essas e outras questões devem ser feitas para que você busque soluções que o ajudem a ter um alto nível de performance e cresça cada vez mais no seu trabalho autônomo

Conclusão

Por fim, o trabalho autônomo é uma ótima alternativa para ajudá-lo a não só sair do vermelho, mas também se reinventar profissionalmente, ingressando em uma carreira de sucesso. 

Como vimos, há diversas vantagens em ser autônomo e cada opção de trabalho disponível possui um grande potencial de crescimento. 

Não à toa, cada vez mais trabalhadores optam por essa modalidade em vez do mercado tradicional.

Então, se você está desempregado e não sabe mais o que fazer para sair dessa condição, investir em um trabalho autônomo é a sua melhor saída. 

Copywriting, gestão de tráfego, produto artesanal ou cuidador de pets, não importa. Todas essas profissões podem devolver sua estabilidade financeira e ainda levá-lo a alcançar resultados expressivos.Já pensou em empreender na internet e não sabe por onde começar? Dá uma olhada nessa matéria: Por que criar uma loja virtual é uma boa ideia?