Categorias de produtos no e-commerce: definindo e gerenciando

Share on Facebook1Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0Share on LinkedIn0
Tempo de Leitura: 3 minutos

Carlos está procurando um produto específico: uma tinta magnética para pintar a parede do quarto do seu filho. Ele encontrou um e-commerce especializado em tintas, mas os produtos estavam tão desordenados que Carlos não pôde localizar o que ele realmente procurava. Facilitar a busca dos clientes pelos produtos desejados é só um dos motivos pelos quais as categorias de produtos no e-commerce são um ponto importante para quem está gerenciando a sua loja virtual. Confira mais sobre o assunto neste post.

O que é gerenciamento por categorias de produtos no e-commerce?

Trata-se de definir as categorias de produtos no e-commerce de forma a usá-las como estratégia de negócio para:

  • Obter um bom ranqueamento do site nas páginas de buscas;
  • Ofecer uma boa navegabilidade do site de forma que os produtos estejam bem organizados, categorizados e posicionados, aumentando a satisfação do cliente;
  • Impactar positivamente as vendas para que o consumidor encontre facilmente o produto que procura.

 

Alguns termos técnicos

No ambiente de categorização, utilizam-se alguns termos que podem soar estranhos num primeiro momento. Como usaremos alguns deles nesse texto, preparamos este mini glossário sobre o tema:

  • Categoria Mãe, categoria de raiz ou categoria superior – são as categorias principais, ou seja, aquelas que aparecem primeiro no menu e abrangem as subcategorias;
  • Subcategoria – são ramificações, categorias que derivam de outras.

 

9 dicas para definir as categorias de produtos no e-commerce de forma eficaz.

Organizar as categorias de produtos no e-commerce parece simples. No entanto, essa tarefa esconde alguns detalhes que precisam ser observados. Por isso, separamos dicas certeiras para você:

1. Evite categorias forçadas, artificiais, muito específicas e/ou profundas

Isso confunde o consumidor, pois dificulta a sua busca por um produto. As categorias devem ser claras e objetivas. Dessa forma, a localização do produto fará sentido para o consumidor e ele não precisará entrar em vários menus até chegar no produto desejado.

2. Use palavras-chave

Usar palavras-chave nas categorias de produtos no e-commerce colabora para que você seja encontrado facilmente pelo consumidor que procura um produto nas ferramentas de busca.

3. Espie a grama do vizinho

Verifique como os seus concorrentes diretos e grandes redes do seu segmento fazem o gerenciamento por categorias de produtos no e-commerce deles. Escolha as melhores práticas para aplicar na sua loja virtual.

4. Analise o seu público-alvo

Use ferramentas como o Google Trends para verificar como o seu público procura por determinado produto. Isso o ajudará também a definir quais palavras-chave utilizar para otimizar as categorias com estratégias de SEO.

5. Produtos especiais podem virar categorias-mães

Caso a sua loja tenha um produto que é o carro-chefe da marca, é válido destacá-lo para encurtar o caminho de quem o procura.

6. Quantidade de categorias

A recomendação é ter de 5 a 8 categorias superiores. Dessa forma, fica mais claro e objetivo para o cliente os tipos de produto que a loja vende. Geralmente, as lojas deixam uma categoria como “outlet”, “promoções” ou “novidades”. Para as subcategorias, é possível ultrapassar essa quantidade.

7. Vários caminhos e um mesmo destino

Não há necessidade de forçar o cliente a seguir um único caminho para encontrar um produto. Você pode usar a criatividade e criar diversas rotas para chegar ao mesmo produto. Por exemplo, no caso do exemplo da tinta que o Carlos está procurando, o e-commerce poderia ter categorias-superiores como Ambientes, Marcas, Tintas Especiais e Cores. Dessa forma, o Carlos encontraria a tinta magnética para o quarto do seu filho em qualquer uma dessas categorias.

8. Disposição dos menus

Exiba as categorias Mãe e as subcategorias de forma que o visitante possa ter uma ideia do todo. Menus de dropdown – que são ativados pelo clique ou pelo movimento do mouse do internauta – são uma boa opção. Assim, ele pode visualizar facilmente o que cada categoria Mãe inclui antes de acessar cada uma.

9. Mostre em que página o cliente está

Deixe no topo da página o caminho que o cliente percorreu para chegar até aquele produto para que ele possa voltar em alguma categoria, caso deseje. Na Loja Integrada, este caminho já é padrão a partir do momento que as categorias e subcategorias são criadas.

 

Como vimos o gerenciamento por categorias de produtos no e-commerce é uma forma de melhorar a experiência de compra do seu visitante. Além disso, a descrição dos produtos também é essencial.

Share on Facebook1Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0Share on LinkedIn0